sexta-feira, 14 de agosto de 2009

O rádio-relógio

Num dia desses, estava zapiando a TV e vi a chamada para a apresentação do Information Society. Nossa! Gelei, e fiquei com aquela típica cara de besta olhando a tela como se ela estivesse a conversar comigo, e aguardei a hora em que a banda iria tocar, agüentando aquele programa dominical ridículo da TV aberta... Enfim, esse não é o papo.. vamos lá..
Ao ouvir o som, remeti-me ao período da infância, onde essa banda tocava muito em todas as rádios nacionais, e os clips deles passavam em programas deste segmento nas tv’s Itapuã e Aratu daqui de Salvador. Cara, muito antigo - Anos 80 na veia!
Bem, nessa brincadeira de cantarolar as músicas que estavam tocando na TV e lembrar minha infância nos anos 80, veio em mente que, a noite, lá em casa, minha mãe mandava-me para cama as 20:00, enquanto ela ficava assistindo o restante das novelas... O detalhe é que eu nunca conseguia dormir nas horas que todos exigiam (até hoje tenho problemas em receber ordens). Assim, eu ia pro quarto e ligava uma velha televisão, bem baixinho, pra não chamar atenção de ninguém.

As horas passavam e minha mãe ia para o quarto também. Mas quando o “velho” tava lá, ela ligava o rádio-relógio que rolava vários sons, inclusive do Information Society, e entre eles rolava a putaria que todo filho e filha se recusam acreditar que rola entre os pais.
Nessa coisa toda, entre gemidos, cama rangendo, músicas do rádio-relógio e TV com volume baixo, cresci vendo aqueles filmes da Band e da extinta Manchete, que sempre tinham aquela putariazinha mais ou menos.
Depois fiquei pensando em certos “traumazinhos” que todo jovem ou criança tem quando vê os pais em plena saliência, e nunca vou me esquecer de uma velha amiga que me contou uma história de que um belo dia, quando esta ainda tinha seis anos, flagrou o pai e a mãe fazendo “69” no sofá da sala em plena madrugada, enquanto acreditavam que ela e os irmãos estavam dormindo... ao invés dela sair correndo como toda criança que se assusta com essa cena, ela ficou, inclinou a cabeça para o lado, e perguntou à mãe se o pai machucou o pintinho, e se era por isso que ela chupava para estancar o sangue. E como se não bastasse, a mãe confirmou o fato. Hehehe. Pilantra!


* Ouvindo "Repetition" - Information Society

4 comentários:

Misty disse...

"Perguntou à mãe se o pai machucou o pintinho, e se era por isso que ela chupava para estancar o sangue. E como se não bastasse, a mãe confirmou o fato".
Nossa, ADOREI! Posso "roubar" pra um conto??

Thiago da Hora Souza disse...

E só de imaginar que aquela "santa igreja" não é a única a roubar dinheiro descaradamente...

Paulo Bono disse...

post porreta. lembrou o tempo das minhas punhetas vendo a sexta sexy da banda. e o information...do caralho.

abraço

Thiago disse...

hahahaha isso se tornou tão comum!